Salvadora Medina Onrubia (Buenos Aires, 23 de março, 1894 – Buenos Aires, 1972). Foi jornalista anarco-feminista e escritora, conhecida como a “Venus Vermelha”.
Viveu sua infância em Gualeguay, formando-se professora. Desde 1909, manteve uma intensa campanha em defesa do jovem anarquista Simon Radowtzky. A primeira carta enviada por Radowitzky quando foi libertado da prisão na Ilha das Flores, foi para a ela.

Colaborou com o jornal anarquista “La Protesto”. Em 1915, conheceu Natalio Botana, editor da revisão, com quem se casou. Teve seu primeiro filho quando solteira, tendo mais três no matrimônio.

Por defender os presos e suas ideias, em 06 de setembro de 1930, foi detida e presa pela ditadura militar do General José Félix Uriburu.

Entre 1946 e 1951, dirigiu o jornal Critica, depois que seu marido morreu. Durante sua vida trabalhou em vários jornais anarquistas e “burgueses”. Se destacou na dramaturgia e na escrita de romances e poemas.

Traduzido de “Periodico La Boina”. Leia completo: https://periodicolaboina.wordpress.com/2017/02/24/anarquista-y-feminista-salvadora-medina-la-venus-roja-1894-1972/

Anúncios