Ivone Lara da Costa

Ivone Lara da Costa nasceu em 13 de abril de 1922, no Rio de Janeiro capital. Ficou órfã de pai e mãe aos seis anos de idade e viveu em um internato durante oito anos. Foi lá que começou a ter contato com música, estudando com Lucília Guimarães Vila-Lobos. Participou do Orfeão dos Apiacãs na Rádio Tupi, e chegou até a ser regida pelo maestro Villa Lobos.

Aos 16 anos, Ivone saiu do Colégio Municipal Orsina da Fonseca para ir morar com o tio Dionísio, que pertencia a um grupo de “chorões”. Foi com ele que a adolescente aprendeu a tocar cavaquinho.

Um pouco mais tarde, em 1945, aos 23 anos, Ivone se mudou para Madureira e começou a frequentar uma escola de samba que hoje não existe mais, chamada Prazer da Serrinha. Foi nessa época que ela começou a compor sambas e partidos altos.

Mas, como o preconceito por ser mulher no samba ainda era grande, quem apresentava as músicas aos outros sambistas da escola era seu primo, Fuleiro, também compositor.

Em 1947, ela começou a trabalhar como enfermeira e assistente social no Serviço Nacional de Doenças Mentais, e só tinha tempo para a carreira de sambista nas férias. Ivone se casou com Oscar, filho do presidente da Prazer da Serrinha. E ela mostrou que tinha mesmo entrado para a família ao compor o samba enredo da escola naquele ano, “Nasci pra sofrer”.

Ainda em 1947, ex-membros da Prazer da Serrinha foram para outra escola de samba, a Império Serrano. A compositora também acabou seguindo este caminho. Durante as décadas seguintes, Ivone Lara continuou compondo sambas de sucesso na escola e para outros intérpretes cantarem em suas carreiras artísticas. Ela foi consagrada como madrinha da Ala dos Compositores da Império Serrano e em 1968, passou a desfilar na Ala das Baianas.

Foi só no fim dos anos 1970, que Ivone Lara passou a se dedicar totalmente ao seu trabalho como sambista. Ela se aposentou do posto de enfermeira em 1977, e lançou seu primeiro disco em 1978, aos 56 anos. A partir daí, a carreira foi só sucesso, com shows até na Europa e no Japão.

Em 1995, quando comemorou 50 anos de carreira, Dona Ivone já havia composto mais de 300 músicas. Entre elas, “Sonho Meu”, canção interpretada por nomes como Gal Costa e Maria Bethânia.

Em 2016, o samba completa 100 anos na história do Brasil. Dona Ivone Lara é e sempre será um de seus maiores ícones.

Texto enviado e escrito por Fernanda Lopes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s